sexta-feira, fevereiro 17, 2017

Caminho(s)




As vezes a gente se perde,
e muita vezes nem quer voltar
as vezes a gente se acha,
mas não quer se encontrar.

O caminho não foi escolhido,
a vida não foi a que pedimos,
os sorrisos não são verdadeiro
de verdade mesmo a vontade de chorar.

Os pensamentos surgem alto,
mas não voam,
Os pássaros não passaram de farsas,
sem rumo não há caminho.

Hoje é dia de voltar pra casar,
mas não é dia de voltar pro lar,
palavras serão ouvidas 
mas não serão entendidas.

Talvez seja hora de parar,
qualquer lugar é perto
para quem está perdido,
para quem perdeu.

E a gente vive
mesmo sem verve,
fingir sorrir é mais fácil
do que fingir chorar.

Arruma um rumo
arruma a mala
a viagem é só de ida
pensamento sem escala.



.rm

sexta-feira, agosto 12, 2016

.passagem


O tempo passa tão rápido, 
diante de nossos olhos sentimentos correm,
Já não somos tão jovens, tudo está distante,
pessoas ficam para trás,
pessoas correm diante da gente, 
paisagens reversas, o passado passando,
enquanto corremos, sem rumo,
para onde iremos agora?
O tempo é o que mais perdemos tentando ganhar,
para onde correremos agora?
Não há tantas escolhas, pois não somos mais tão jovens,
Era pra ser mais fácil não era?
As portas se fecham, caem umas sobre as outras,
como peças de dominó.
O que faremos agora?
Nossas crianças já cresceram, não sentimos mais a mesma coisa,
Nós fizemos nossa fé ser perder pelo caminho.
Em quem acreditaremos agora?
Nossas tentativas falharam, ninguém fará nada por nós,
sonhos espedaçados em um chão de espelhos.
O que esperar agora?




.rm

segunda-feira, junho 08, 2015

.som



Amizade nascida em ruas e várzeas
ou em casinha de bonecas,
trazem em comum um arranjo,
reverbera ao longo da vida,
ecoa melodias imperfeitas,
trazendo o som da paz.
Amigos são notas
Amizade é afinação
ainda quando fora do mesmo campo harmônico,
Amizade é música
Amigos são instrumentos,
ainda quando se sobe o tom.
Amigos são vitrolas,
amizade é vinil,
ainda quando se precisa trocar a agulha.
Amizade é show
Amigos são sons.
A vida é música.

.rm

sexta-feira, janeiro 30, 2015

Nosso.



Você já reparou
quantas cores tem o céu
quando estamos juntos?
Você percebeu que o tempo se transforma
e tudo em nossa volta gira devagar?
As janelas se abrem por onde passamos
e na verdade nem nos damos conta disso.
Mesmo na escuridão não existe céu ou inferno,
não podemos deixar que nossas mãos se soltem,
Nossos medos são apenas desculpas,
desculpas para nos apoiarmos um no outro.
Transformamos o mundo na nossa varanda,
e ganhamos território a cada dia,
nos tornamos donos das nossas escolhas.
Nossos corpos mimetizam nossos sentimentos,
exalando a cumplicidade que encontramos no meio do caminho.
Ouça essa música, ela tocará pra sempre em nossos corações,
sinta esse cheiro, deguste esse beijo,
pois assim será pelo resto de nossas vidas,
até onde o que for eterno durar...
Nos realizamos, um no outro, mesmo sozinhos,
sem fórmulas perfeitas, sem a busca da perfeição,
talvez nem estávamos a procura disso tudo.
Acredite em mim, fizemos tudo errado,
por isso que deu certo,
as portas foram abertas pelos nossos desejos,
acredite em mim, acertamos.
Em meio tantas histórias que escrevemos juntos,
a mais bonita escreveremos sempre que o sol nascer,
sem medo de apagar e começar tudo de novo.
Tudo isso é nosso.
Acredite em mim, em nós!


(homenagem à minha doce Marysol)

quarta-feira, novembro 12, 2014

Espaço




Não é fácil não
passa tão rápido,
quase na velocidade da luz
que não sobra espaço entre você e eu.

Estranho que ainda ouço vozes
como se o som se propagasse
no espaço que ficou entre nós dois
como se ainda houvesse alguma ligação.

Vejo vultos a todo instante,
personagens que vem e vão,
lembranças que vêm em vão,
como cartas em branco.

Parados no tempo, não verbal
entre mudanças deixadas
vidas passadas a limpo
observações comuns de quem vê o final.

A vela se apaga com o mesmo vento
que alimenta  a fogueira
pontos de vistas egoístas
egos alimentados por um prato vazio.

quinta-feira, agosto 07, 2014

é assim...




é assim, a gente se machuca
tentando não machucar ninguém,
a gente esquece de se proteger
pra proteger alguém...

falta a fala, 
quando a falta fala mais alto,
sigo cabisbaixo
perdendo a auto-estima...

é assim, a gente se perde
tentando achar um caminho
achando graça da nossa desgraça
talvez essa ameaça um dia passa...

falta o ar, mesmo afrouxando a gravata
o nó ainda está na garganta
sílabas presas na voz de quem canta,
dor de quem ainda se encanta.

é assim, a gente se cura
no amor, essa doença,
a gente se encurta
mais um pouco de convivência...

falta, deixa faltar
onde não cabe, não pode faltar
em árvore seca,
folha não há como ficar.

quarta-feira, junho 11, 2014

Livrai-me


Livrai-me

Livrai-me
 da hipocrisia
 da arrogância 
 da verdade
 da esperança

Livrai-me
 da sorte
 da coragem
 da vitória
 da rotina

Livrai-me
 dos sóbrios
 dos realistas
 da sobriedade
 da realidade

Livrai-me
 dos perfumes doces
 das lágrimas salgadas
 dos amores amargos
 das amizades azedas

Livrai-me
 do que repete
 do que se pede
 do que me dão
 dos que se fazem.

Livrai-me
 da petulância
 da dignidade
 do trabalho
 do bem querer.

Livrai-me
 da cerveja quente
 do whiske falsificado
 da vodka com metanol
 da cachaça industrial

Livrai-me 
 dos verborrágicos 
 dos conscientes
 dos pacíficos 
 dos sábios

Livrai-me 
 da virtude
 da virtuose
 da atitude
 da altitude

Livrai-me
 do superbond
 das tupperwares 
 da tampa da azeitona
 do controle sem pilha

Livrai-me 
 do dedo na quina
 do corte de A4
 da falta d'agua
 da Falta de energia

Livrai-me
 do sol
 das cores
 dos pedintes
 dos idosos

Livrai-me 
 de tudo
 de todos
 de mim.